PRODUÇÃO DE FILMES POLIMÉRICOS BIODEGRADÁVEIS A PARTIR DE PRODUTOS AGROINDUSTRIAIS PARA RECOBRIMENTO

Maçãs

General

18333

Divulgación Científica

A produção em excesso e o transporte são fatores cruciais para o aumento significante dos índices de desperdício de alimentos no mundo. De acordo com a EMBRAPA, 54% do desperdício de frutas e legumes no mundo ocorre na fase inicial da produção, que são a manipulação pós-colheita e a armazenagem. Os outros 46% do desperdício, ocorrem nas etapas de processamento, distribuição e consumo. Levando em conta que todos os dias 870 milhões de pessoas passam fome no mundo, esses dados sobre desperdício se tornam aterrorizantes (ZAUN, 2013). Portanto, necessita-se de um método de revestimento pós-colheita para frutos que possa reduzir o uso de filmes plásticos, bandejas e outros produtos sintéticos que poluem o meio ambiente e tem baixa eficácia de conservação. O objetivo deste trabalho é desenvolver filmes poliméricos a partir do amido de produtos e subprodutos agroindustriais para aplicação em frutas, evitando a degradação instantânea e o desperdício no meio ambiente. Para a elaboração do bioplástico foi utilizado os seguintes produtos: banana, batata inglesa, batata doce, amido de milho, glicerina, ácido acético, amido e água. A extração do amido foi iniciada pelo fracionamento dos produtos agroindustriais, seguida da adição de 1L de água, e posteriormente a liquidificação durante 5 minutos. Após a liquidificação, cada mistura foi filtrada, o resultado foi um liquido denso, reservamos em recipiente de 1,5 litros por aproximadamente 20 minutos. Após a extração do amido colocamos na estufa a 30ºC, por aproximadamente 20 minutos. Preparou-se uma mistura que tem em sua composição: 2,5g de amido, 2,5mL de glicerina, 15mL de ácido acético, 60mL de água para a dissolução do amido. Além desses, foi complementado a composição do bioplástico a cera de carnaúba e a cera de abelha. Por último, realizou testes físico-químicos, elasticidade, impactos, biodegradabilidade e recobrimento. Diante dos resultados preliminares obtidos e suas características, a partir das metodologias utilizadas, infere-se que é possível a obtenção de filmes plásticos provenientes do amido extraído batata doce – cera de abelha. Analisando os ensaios realizados, percebeu-se que os plásticos com mais consistência foram os que utilizaram maior quantidade de ácido, o que indica que a degradação dos grânulos de amido é muito importante para o processo de formação do filme. Assim, a quantidade de plasticizante utilizado deve ser sempre inferior à quantidade de ácido para que o rompimento das ligações de hidrogênio presentes na molécula do grânulo seja eficaz e forme um polímero uniforme durante a etapa final de formação.

Participantes

JOSE GUILHERME OLIVEIRA MATIAS

YANNE LARA GURGEL PINHEIRO

Sebastiana Vicente Bezerra

Escuela

E.E.M Dep Joaquim De Figueiredo Correia

Brasil-CE-Iracema